Arduino LilyPad, o mais charmoso da família Arduino.

A Arduino LilyPad, é uma placa pensada para ser utilizada em gadgets vestíveis, com pcb de espessura reduzida e simplificações em sua alimentação, a placa cumpre bem o papel, veremos isso melhor no post.

A Placa

A LilyPad é uma placa bem diferente do convencional, e não digo isso apenas pelo formato circular que lembra muito uma flor, a placa ainda possui furos no lugar de pinos, longos contatos para possível utilização com garras, um pcb com apenas 0,8mm de espessura, ausência de regulador de tensão e USB, e acredite, isso tudo possui propósitos, ela foi criada pela designer e engenheira elétrica Leah Buechley, ela conta em entrevista a revista maker, que começou a jornada no mundo maker em 2007, a placa começou a ser confeccionada de forma modesta, e hoje é uma obra de arte.

pcb mais fino, furos e área de contato maior:

A organização da placa não é apenas um padrão estético, a LilyPad foi feita para ser costurada, e não em sentido figurado, os furos são grandes o bastante para que uma agulha de crochê de 1.2mm possa atravessar por exemplo, a placa pode fazer parte de um bordado, a ausência de headers machos é justificada pelo falo de que esses podem danificar o tecido, os únicos pinos existentes, são os de conexão com interface ftdi, o mesmo padrão do mini e pro mini, mais esses pinos são de fácil dessoldagem, para projeto final.

Mais e quando eu for lavar o tecido?

curiosamente a lilypad pode ser lavada, desde que não esteja desligada, a Arduino Foundation não se responsabiliza por danos durante a lavagem, mais faz parte da especificação, e ainda é recomendado utilizar detergente neutro para a tarefa.

AVISO!!, O ELETRÔNICA NERD NÃO SE RESPONSABILIZA POR DANOS CAUSADOS PELA LAVAGEM DA PLACA.

especificações técnicas

segue abaixo, a tabela de especificações da placa.

Arduino LilyPad
MicrocontroladorAtmega 168/328
Frequência8mhz
Tensão de Trabalho2,7 V a 5,5 V
Pinos Digitais14, pinos de 0 a 13
Pinos Analógicos6, pinos de A0 a A5
PWM6
Memória Flash16kb, sendo 2kb para o bootload
SRAM1kb
EEPROM512 bytes
Corrente por pino40 mA

Como é possível notar, a placa possui uma tensão de trabalho não muito convencional, sendo essa a tensão de estabilidade da placa, isso se da pelo fato de a placa trabalhar com um cloc reduzido, de 8mhz, contrario aos 16mhz das placas que trabalham com Atmega 168/328, como é o caso do arduino uno, essa tensão de trabalho ajuda em muitas situações, pois permite utilizar baterias pequenas, que geralmente entregam tensão na casa dos 3V, como exemplo temos as baterias de litio 503450, que entrega 3,7V e um baixo perfil.

Cuidados com a placa

Para entregar essa faixa de tensão de trabalho, a lilypad se abstém de um regulador de tensão, isso acaba por ser um pouco perigoso, já que no caso da tensão ultrapassar os 5.5V, a placa pode sofrer danos irreparáveis, e como o chip da mesma se trata de um Atmega smd, a substituição do componente pode ser bem trabalhosa.

AVISO!! EVITE A QUALQUER CUSTO, TENSÕES ACIMA DOS 5.5V NA ARDUINO LILYPAD.

Também é preciso tomar cuidado com os contatos da placa, já que é muito comum o uso de garras no lugar de jumpers, as garras com o tempo vão corroendo o material, e isso pode acabar destruindo as trilhas elétricas, e neste caso, o reparo é ainda mais difícil, lembre-se que esta é uma placa para projeto final, e os furos podem comportar linhas metálicas que conduzem eletricidade, o que pode ser um pouco chato de se trabalhar, já que a leitura analógica sofre com interferências, a solução que eu encontrei, foi prender os cabos com fita, isso nos pontos críticos é claro.

Referências

Posts created 5

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Begin typing your search term above and press enter to search. Press ESC to cancel.